Comentários do professor Severino Celestino da Silva ao livro EROS EM ASCENSÃO: POESIA DE AMOR E FÉ

ano, em João Pessoa – Paraíba. Não sei se as mereço, mas compartilho aqui essas palavras que me fizeram tão bem:

EROS EM ASCENSÃO: POESIA DE AMOR E FÉ

Comentários de Severino Celestino da Silva

O CONVITE DA CATARINA: DESPERTA!

Antes de iniciarmos a agradável leitura do EROS EM ASCENSÃO: POESIA DE AMOR E FÉ da Catarina Rochamonte, nos deparamos com um sublime convite feito por ela: DESPERTA!
Uma introdução agradável e metafórica sobre alguém que se encontra, mãos postas e em profunda e bela meditação: …“Desperta! O mar que te vai ao encontro é o teu interior em estado de tensão”… “Por isso eu te digo: vá em paz, que a humanidade há de se curvar à paz que buscas, mas tu não podes curar o mundo sem ter paz”.
Depois deste belíssimo prólogo, nos deparamos com um tesouro de poemas de incalculável valor.
A obra da Catarina é um grande e esplêndido convite. Convite para uma reflexão, onde o material e o espiritual se confundem e nos colocam diante da realidade espiritual consoladora que todos nós devemos cultivar: a FÉ.
Cada poema representa uma mensagem e cada mensagem uma elucubração que intensifica o convite espiritual que nos é dirigido.
O poema TU, A VIDA E O AMOR, ( pg.7) logo no início do livro, é um grande convite sobre a grandeza da vida e o Amor que devemos dispensar a esta grande dádiva de Deus. Na sequência vem SOLIDÃO, (pg.9) uma auto reflexão interrogativa, que termina com a esperança no clarão de luz que existe sempre em nossa vida e que todos nós devemos cultivar. Na sequência vem como uma continuação NA DÚVIDA, A FÉ, páginas 39, 40 e 41, onde uma série de interrogações nos coloca diante da inevitável e mais perfeita lógica de saída para qualquer dificuldade que o ser humano tenha que enfrentar: A FÉ.
Na verdade, estamos diante de um rosário de poemas, onde cada um representa um conjunto de rimas e mensagens difíceis de se apontar qual o melhor. Suas rimas são ricas e profundas no conteúdo. Agradáveis de ler e muito atrativas. Nos prendem o tempo inteiro diante de suas páginas e nos enriquecem a mente e a alma.
Apresento na sequência alguns poemas, que entre tantos belos e ricos, me chamaram mais a atenção:
O HOMEM E A ANDORINHA, (pg.13) EROS E PHILIA,(pg. 21RITMOS DA ALMA, (pg.42). SINTOMATOLOGIA, (pg.56) e TEMPO (pg.70, uma apologia ao livro Eclesiastes do rei Salomão).
Sinto que estamos diante de um trabalho comparável aos dos grandes vultos e poetas da nossa literatura brasileira e universal. Classifico este trabalho como um grande repositório de sentimentos de amor e fé que poderá ser utilizado como inspiração musical para muitos artistas e compositores brasileiros. O trabalho possui lições e orientações psicológicas de estímulos, otimismos e um positivismo que pode servir de suporte para aqueles que passam pelos dissabores e provas da vida.
O poema TROVEJA, TROPEÇA, TRÔPEGA, TREMENDO na página 76, representa uma construção poética de inspiração ímpar. Por isso, o coloco no final destes pobres e pequenos comentários que não conseguem, nem de longe, retratar a grandeza deste trabalho da Catarina.

Troveja, tropeça, trôpega, tremendo
Trovão, tornado, tormento, temor
Estás na tempestade do teu temperamento
Tudo em ti tumultua o teu teor
Banal, bélica, bela, basilar
Boêmia, blasfêmia, blefe, bocejar
Bonança, bravura: o bem a brotar
Pele, pena, penúria, perdição
Poesia, perdas, perigo, profusão
Pensamento, pavimento, pórtico, pendão
Prossegue! Persiste! Pede: “Pai, perdão! ”
Trazes tua triste tez testemunhando
Tua tentativa, teu trabalho, teu tamanho
Tenta! Tua tinta tecerá toda tua toada
Terás o teu tesouro: tua tarefa terminada.

Diante desta magnífica obra e após a conclusão de sua leitura, só nos resta atender o convite da Catarina para que todos despertem e ponham as suas mãos em meditação e prece. Prece de agradecimento por este grande presente de cultura e arte, que a literatura poética brasileira está agraciada e tão enriquecida.
A PAZ É A SAÍDA.

(Celestino é Professor na UFPB, ex-seminarista, pesquisador das religiões. Sempre estudou a Bíblia em sua língua original, o hebraico. Espírita há mais de 20 anos, escreveu vários livros, dentre os quais “Analisando as Traduções Bíblicas” e “O Sermão do Monte”, revertendo a sua verba para obras assistenciais do Núcleo Espírita Bom Samaritano, em João Pessoa – Paraíba. )

Deixe uma resposta

Fechar Menu